Alegria não é difícil, só não é simples. E quanto ao sofrimento, aprendi que faz parte.


Aprendi que alegria não é difícil, ela só não é simples. E quanto ao sofrimento, aprendi que faz parte. Muitas vezes, aliás, ele é necessário; e a pessoa, por sua vez, necessita confiar. Confiar na escuridão, nas tempestades; afinal, um mar calmo não produz marinheiro experiente e prudente.

Confia. Há sempre uma solução por detrás das cortinas. Apenas não atire as cartas no chão e arremesse a mesa para o ar. Viver não é um jogo lógico, é sem manual de instrução, e por isso muitos tendem a insistir tanto, a martelar tanto, tanto, tanto em objetivos um tanto eclipsados, e tendem a correr atrás de coisas e circunstâncias que são completamente irrelevantes.


O que é relevante, afinal? 


Você. Seu sorriso. Seu coração. São relevantes independentemente de quem você acha que ama. Independentemente do que esteja acontecendo em torno de si. Independentemente das gotas que acariciaram sua face. Apenas retome o controle e sua responsabilidade. E confia. Porque sua alegria é a mais relevante.


Aprendi que a natureza protege a inocência, mas não a consciência. Por isso, procure não só aprender mais, mas também a aplicar tudo o que se aprende, porque sim, a vida sempre nos cobra o que já sabemos.


Aprendi que o ato de aceitar as coisas e as pessoas como são é uma atitude abençoada. É realmente a “sabedoria da aceitação”. Um dia nos damos conta das nossas exigências tão perfeccionistas e das nossas expectativas tão altas com as quais acarretamos tanta angústia e sofrimento, não é mesmo? 


E com isso vêm a sabedoria de aguardar; sem pressa, sem expectativas: você sabe que vida dá e tira independentemente da nossa vontade. E daí você abre mão das suas ideias controladoras, afinal, você não tem como mexer no que está fora da sua alçada.


Viver é aprender. E neste jogo de raciocínio, o presente é prazer em poder adquirir sabedoria e experiencia, seja pela dor ou pelo amor: independente de qual seja, eles legitimam que você está vivo. E viver é tão maravilhoso.



Eu aprendi que viver é realmente isso: caminhar através de uma vasta área permeada por montanhas. Viver é altos-e-baixos-constantes, em diferentes proporções, em diferentes intensidades.

E garanto: a vida sabe retribuir de forma justa.





Sobre o Autor: 
Leone Da Costa   
24 anos. Professor. Idealizador do blog Papicher. Leonino.  De tudo que tenho na minha vida; música, aprender e livros são minhas paixões! Mais do que isso, poder compartilhar tudo o que eu tenho aprendido até aqui. Apaixonado pela vida., I make myself .

             


Nenhum comentário

About me

Papicher 2014©. Tecnologia do Blogger.