Filhos Não Vem Com Manual, E Como Saber Se Estamos Fazendo O Certo?


       Percebi hoje, aos 46 anos, o problema que dar uma opinião pode causar, sim, e pode ser problema por anos. Podem te julgar e te questionar silenciosamente. E as pessoas fazem isso, elas preferem te julgar ao chegar a você e perguntar o que quis dizer com aquilo, se é assim mesmo que pensa ou o porquê de ter dito?
       Há muito anos, logo que minha primeira filha nasceu, eu disse uma vez que criaria meus filhos para o mundo e disse isso várias vezes, repeti após os outros dois nascerem também, e do meu jeito tenho tentado fazer isso.
       Mas, o que é criar o filho para o mundo? Abandonar? Nunca.
Quando disse isso não tinha ideia de quantas mudanças a minha vida poderia dar. Quando disse isso a acredito que a minha ex seguiu a mesma linha, quis dizer que não pouparia eles de muitas coisas que vejo os pais poupando, que ia mostrar como o mundo é.
       Sem nunca abandonar e ajudando-os sempre que pude em todos os assuntos segui com este lema, ou esta cruz que acabou me crucificando, mas que fique claro que criar os filhos para o mundo não quer dizer abandonar, quer dizer apoiar sempre, deixar claro que as coisas não são como parecem ou nos mostram, que a verdade circula entre nós, mas nós preferimos não ver, afinal a ilusão é mais saborosa.
       Quando disse criar os filhos para o mundo quis dizer que as pessoas tem o livre arbítrio para fazerem e estarem com quem quiser e isso, é só um problema delas, que o que mais importa não é o que elas têm entre as pernas, o que vestem, o saldo de suas contas ou que rótulos pregaram nas costas delas, mas, sim qual a essência dela para com ela e com as outras pessoas. E que mundo hein, depois de algum tempo eu me assumi “gay”, talvez por criarmos eles, para o mundo, eles tiraram isso de letra e não tem preconceitos nem comigo nem com ninguém.
       Criar os filhos para o mundo é deixar claro que bom dia, obrigado e, por favor, são direcionados a qualquer pessoa, seja ela a faxineira do mercado ou o dono e que isso só vai fazer com que as pessoas tenham admiração por você, que isso não te deixa menor ou menos importante.
Para o mundo, talvez este pedaço da frase me fizesse ser mal interpretado, mas, vivemos aonde? Para quem? E já que ele é tão cruel preferi preparar os meus para que possam sobreviver da melhor maneira.
       Sempre disse que a única e verdadeira amiga das minhas filhas seria a sua mãe, isso é proteger, pois, já vi muitas meninas preferirem uma “amiga” e depois quando entra um… “pau”, no assunto vem a grande decepção, e elas ainda dizem: “Fulana era minha amiga”. A meu ver, isso é proteção, é criar os filhos para o mundo.
       Aos 21 uma e 18 outra, minhas filhas já optaram com consciência, fazer tatuagens e não ficaram se importando com os outros, foi uma escolha delas, e o caçula aos 15, já usa alargador, e vocês podem estar dizendo: “ah! mas isso hoje em dia é normal”. Normal pode até ser, mas e aguentar as gozações? Ou melhor, agora isso é “booling”, enfim precisam ter personalidade para se bancarem com algumas escolhas que até fogem dos padrões hipócritas da sociedade machista que vivemos.
       Quando digo criar para o mundo é dar a liberdade de escolher sem apelar aos sentimentos, separado a mais de 10 anos nunca exigi que estivessem comigo em datas comerciais, ops, especiais, sempre dei a liberdade e disse: “quero que façam o que quiserem”, se não quiserem estar comigo ou ir comigo (para casa dos avós) não tem problema, fico feliz se vocês estiverem escolhendo o que querem e que estejam felizes, já vi tanta criança e adolescente com aquela cara de cu nos lugares com os pais porque estão ali obrigados, quanto ao tempo juntos, é melhor pouco tempo, mas aproveitado plenamente do que todo dia e mal aproveitado, claro que eles sabem a importância da família, mas isso não quer dizer que precisam estar juntos todos os dias, afinal quantas pessoas existem separadas de suas famílias e nem sempre quem esta mais perto é o melhor, afinal eu mesmo tenho amigos verdadeiros de mais de 40 anos e não estão juntos de mim todo dia, nem todo mês e nem todo ano, então, criar filhos para o mundo quer dizer que os laços criados com outras pessoas, se forem verdadeiros e fortes nem o tempo desfaz e isso é importante, amigos e familiares de festas, de bares, de almoços todos temos, mas destes quem realmente vai te defender com unhas e dentes independente de quem ou como você seja?
       Quando disse criar os filhos para o mundo nunca pensei em ABANDONO, nem em apoiar coisas erradas, mas sim por mais que errem não desistir e sempre estar por perto, sei que por mais que algumas vezes dizemos que isso ou aquilo vai dar merda ou que é errado eles insistem, mas não sei o que se passa do outro lado e não vou comparar eles porque cada um é cada um e assim como o caçula pode ter uma opinião formada e de personalidade sobre uma roupa a mais velha pode ainda experimentar um ou quinze looks e não saber o que vestir, e isso é errado? Tudo bem que é um saco, hahahahahaha..., mas é ela, uma hora ela vai chegar ao ponto de apenas escolher a que ela quer e PHODA-SE os outros, e assim é o ser humano, alguns aprendem mais cedo, alguns são mais legais, educados, enfim, somos muito diferentes e quão difícil é aceitar isso, como sei.
       Quando digo e defendo criar os filhos para o mundo não estou justificando meus erros, afinal acredito que talvez mesmo sem saber meus pais criaram eu e meus irmãos assim, e como minha mãe diz: “filhos depois que nascem, só mudam os tipos de problemas”. Hoje a entendo, pois, os tenho e ela continua cuidando como eu também.
       Criar os filhos para o mundo não é abandonar é realmente abrir os olhos deles e mostrar que tem muitas coisas belas, mas também muita injustiça, diferença, armadilhas e que as pessoas não são sempre boazinhas.


Sobre o Autor: 

Hugo Salum  Marketeiro e escritor. Aquariano de corpo e alma ,curioso, autêntico e sincero (até demais). Quando escrevo, não tenho rodeios: coloco logo o que penso, de maneira clara, precisa, direta e transparente, sem deixar de fora do papel algumas pimentas&polêmicas (porque quanto mais quente, melhor!). Procuro estar sempre aberto às mudanças, pois a vida é feita de transformações, aprendizado e amadurecimento. Amo café, coleciono canecas, sou pai de três filhos lindos e maravilhosos (#paicorujasimsenhor). Estou sempre sorrindo e festejando, afinal amo viver e por isso acho que cada dia a mais neste mundo já é motivo para celebrar! Este sou eu, o Salum. (www.hugosalum.com.br).
      

Comentários:

Nenhum comentário

About me

Papicher 2014©. Tecnologia do Blogger.