Por que os relacionamentos não duram mais?


Vale lembrar que relacionamentos são ímpares, e que cada um tem a sua forma de fazer dar certo. E por fim, eu acredito que existem relacionamentos que podem durar 4 ou 6 meses e que podem ser tão verdadeiros quanto um de longa duração. :)
_____________


Eu tenho uma amiga. Ela tem 53 anos  e está num casamento desde os seus 17. Uma moça jovem, amiga da família, perguntou a ela: com tantos anos juntos, vocês pelo menos se beijam? E ela não exitou em dizer que, além de se beijarem todos os dias, andam de mãos dadas, dizem que se amam todos os dias, dormem de mãos dadas e transam 3 vezes por semana! Tá bom ou quer mais? 

       Diferente dos relacionamentos de antigamente, as pessoas de hoje são mais imediatistas e abertas, o que é algo muito bom e positivo para conhecer e curtir à mil esta vida que é muito curta. Mas, então, quando alguém tenta algo mais sério e estável, acaba não funcionando. Talvez a vida de ir e virali e acolá tem sido mais fácil. Mas, se tratando de compromisso, muitos pulam ou acabam desistindo muito cedo, por quê? 

Eu tenho as minhas teorias.


Quando um não quer, dois não brigam

       "Ele é super tranquilo", disse a minha amiga ao conversamos na varanda da minha casa, "quando eu estou estressada ele só vem falar comigo depois" E sobre isso, eu posso dizer que é que nem bêbado. Me diga: adianta discutir com bêbado? Às vezes, no calor da briga ou da discussão, falamos coisas que não gostaríamos e até dizemos palavras que podem não ser perdoadas. "Ele vem depois e diz que não gostou disso ou daquilo que eu falei e conversamos.


Foca naquilo que ele(a) tem de bom


       Por isso que eu sempre digo: vamos treinar nossos olhos para ver o lado bonito da vida (e das pessoas também, ora). Focar no lado positivo. É aquilo lá no começo do namoro, o que te faz se apaixonar por ele. Mas aí a gente foca no negativo e apaga os pontos positivos da pessoa. Me lembro de uma outra amiga que, no meio de uma conversa na praia, nas férias de Julho, nos contou que achava que o seu namorado (há 4 anos juntos) não gostava dela porque ele simplesmente não era ciumento. "Mas deve ter algo de errado com esse cara. Ele é muito tranquilo, meu!". Pude perceber que ela estava criando problemas aonde não tem, afinal eles eram felizes. Aliás, ela queria mesmo ciúmes para gerar drama? Ela precisava disso? Eu ouvi mesmo isso? Parece que o ser humano não consegue viver sem problemas. Mesmo estando num paraíso perfeito a nossa mente rapidamente criaria um. 

Substituíveis?

       Muitos dos nossos pais, por exemplo, vêm de um tempo bem diferente. Onde tudo era mais reservado e conservador (bem chato, eu acho). Tudo era mais limitado, inclusive. Eles são de um tempo aonde se dava jeito para tudo e tinham um forte apego pelos objetos. Não se desfazia das coisas tão facilmente - preferiam consertar. Hoje, se substitui qualquer coisa num estalar de dedos. Iphone 7 para o iPhone 8, comprar tudo de novo, etc. Sem contar com as infinitas possibilidades que a era da informação nos proporciona e que antes ream inimagináveis. Fica difícil não procurar conhecer coisas novas e ocasionalmente substituí-las, não é? Acredito que isso se passou para os seres humanos. Acredito que hoje, num sentido amplo, as pessoas lidam com as coisas como sendo todas substituíveis, inclusive os relacionamentos.  Muitos querem substituir o parceiro(a) achando que vão achar coisa melhor (e às vezes acham), simplesmente quando se acham merecedores, ou porque enjoaram frente às expandidas possibilidades. E também, ocasionalmente pela derrubada das paredes que separavam pessoas de um estado do outro, uma cidade da outra e até de um país do outro; com a ajuda do Tinder é muito mais acessível um encontro com uma pessoa.



A decisão é sua

       A decisão de ser feliz e ter um relacionamento bem sucedido é sua. Não? "Eu decidi ter um relacionamento feliz", disse a minha amiga sobre a qual falei no começo deste texto. Identificando que a pessoa te faz bem, fazer bem para a relação é o modo de retribuí-la. Acredito fortemente que a decisão de ser feliz está nas suas mãos. "Eu tenho defeitos e ele também, mas ele tem tantas qualidades que eu não encontraria em outra pessoa, que eu foco na qualidade."

Coloque regras.

       No começo tuuudo são flores, até quando chega o ponto em que você cansa. Na sua casa você tem regras, na escola se tem regras, na sua empresa tem regaras, no relacionamento também precisa ter regras. Regras que com o tempo são reescritas. Por exemplo, eu não gosto de toalha molhada em cima da cama, então não vamos brigar e ponha ela ali. Uma hora, essas quebras de regrinhas vão se somatizando com o tempo e uma hora pode explodir! Respeite as regrinhas!

Namoro a três: Ela, ele mais o celular.

       Essa poderia ser uma regrinha também. Isso vale para aquele namorado que fica 4 horas no banheiro mexendo na timeline infinita do Facebook ou do Instagram. Isso não pode interferir no relacionamento.  Sempre deve haver espaço para as atividades a dois, momentos para saírem.

Mito do amor romântico

       Muitos crescem assistindo filmes de contos de fadas e sonham com aquele amor que surgirá na sua vida, que vai te arrebatar e te fazer feliz. É como um objetivo de vida. Criando pessoas e realidades perfeitas, quando nem mesmo ela é. Dessa forma, a pessoa põe sobre os ombros do outro a responsabilidade de fazê-lo feliz e responsável pelas suas frustrações, quando isso não é verdade! As pessoas se somam e não se completam. Para saber mais sobre o mito do amor romântico, vale a pena ler este artigo: O mito do amor romântico e como ele está arruinando as nossas vidas!


Leia também: E se o amor acabar?





Comentários

Nenhum comentário

About me

Papicher 2014©. Tecnologia do Blogger.