Mudar assusta, mas no fundo sabemos quando é necessário


Eu sei, mudar assusta.

Em todas as situações; seja um jovem que está no mercado de trabalho agora e que tem medo de mudar de emprego, ou uma pessoa de mais idade, ou de outa que está há muito tempo numa mesmo situação; o medo, muitas vezes, não está na mudança de emprego ou de situação, mas sim na mudança em si, não é mesmo? O movimento que qualquer mudança provoca é o que assusta, que desencoraja e às vezes até nos paralisa. É você sair da inércia e entrar em movimento.

Primeiro é o movimento interno: constatar que precisa mudar. Isso nem sempre é fácil.  A gente fica procurando motivo, explicação, sendo que o motivo é simples e um só: não estou feliz, não está bom. Aí vale para o lugar que você mora, para o relacionamento que você tem; vale para o trabalho. A unidade de medida é essa: estou feliz/não estpu feliz. É aquele nosso profundo, como que uma voz da nossa alma nos dizendo que estamos agindo de forma errada, que as situações estão erradas ou que algo precisa de mudança, não é assim?


É uma sensação que começa  e você não quer ver; você esconde. A gente sabe, no fundo, no fundo, quando mudar é necssário. A questão é: você continuar e assumir ou se vai continuar fingindo que não está vendo e vai continuar levando. E nós nunca sabemos o preço de continuar levando. Porque muitas mudanças são decorrentes de alguma razão (e razão lógica e não de uma simples desculpa).

Inclusive, pode ser porque não tenha força suficiente, recursos ou elementos suficientes; mas sabemos que um dia a mudança vai chegar. A gente caminha em direção a mudança e isso faz diferença, mesmo que leve tempo para se efetivar. 

O problema pode até começar conosco mesmo. É muito difícil assumir que temos de mudar. Mas também surge a coragem de dizer para nós mesmos: vamosO fracasso não está no medo, mas na paralisia que ele causa. E por outro lado, pode ser difícil porque determinadas mudanças respingam nas pessoas e nas situações que nos rodeiam. A minha mudança afeta outras pessoas. Vai fazer com que a configuração de certas situações precise ser alterada. 

É preciso uma força, uma energia, determinação, de fé.  É preciso fé. Fé na vida, na suas cresças, em você mesmo; fé na possibilidade de ser feliz


Para não mudar são muitas as razões, porque é obvio que tem um prejuízos. É você sair de uma situação já consolidada para outra. Você ganha muito, mas também perde algumas coisas. As vezes é o dinheiro, é o conforto, um relacionamento, vem um stress. Tudo isso vem junto com a mudança. Você precisa ser objetivo, ter sob controle algumas coisas; mas não sobre tudo. 

Não se pode pensar que vai achar a felicidade e que vai ter tudo sob controle: temos um pouco de medo, um pouco de coragem, um pouco de frio na barriga. Um pouco de audácia, de coragem e um tantinho assim de... risco. A gente precisa de risco, a gente precisa arriscar. É aí que você coloca sua fé, poque a felicidade, muitas vezes, não tem a ver com lógica. Não tem nada de concreto. Mas é como um chamado. Mudar é uma chamada muito forte, não e mesmo? A gente precisa dar estes saltos na vida. Temos alí uma certeza, mas que é muito na incerteza e que no fundo você sabe que vai dar certo. 

Quantas mudanças que só nos acreditávamos e que no fundo tínhamos a certeza de que tinha, sim, a possibilidade de dar certo. E apostamos. Sempre fazendo a nossa parte. Porque dessa forma não estaremos jogando contra, mas a favor de nós mesmos. 

Mas e quanto a você?Com certeza deve ter se deparado com aquele momento em que surge essa sensação de querer mudar algo ou você. Me conte nos comentários. :)


Sobre o Autor: 

Leone Bravi  22 anos. Idealizador do blog Papicher. Leonino. De tudo que tenho na minha vida; viajar, amigos e livros são minhas paixões! Mais do que isso, divulgar  tudo o que eu tenho aprendido. Apaixonado pela vida. I make myself.

        






Comentários:

Nenhum comentário

About me

Papicher 2014©. Tecnologia do Blogger.