Entregue-se Mesmo Que Isso Possa Deixar Teu Coração Machucado. O Arrependimento Futuro É Muito Mais Doloroso




Entregar-se a quem? A que?

Com o tempo as palavras vão tendo outros significados. Talvez a maturidade nos traga isso.

Houve uma época que se entregar era correr solto e brincar o dia todo. Depois veio a adolescência e, nessa altura, era se entregar ao primeiro amor, ao primeiro gostar.

A gente se entrega ao amor que escolhe para casar, para ter filhos e construir uma família. Tem uma época que nos entregamos à nossa vida profissional, nos entregamos ao nos cuidar, a desistir de algumas coisas e explorar outras novas. Vivemos de escolhas e entregas, entendeu? ESCOLHAS e ENTREGAS.


Das escolhas temos que arcar com as consequências e nem sempre elas são as mais doces, mas escolhas erradas nos fazem amadurecer e quando elas são as certas é muito, mas muito gratificante. Das entregas… bom, destas, às vezes sofremos ou por nos entregar de mais, ou por não nos entregar. Ainda acredito que é mais válido SE ENTREGAR.

Das duas digo uma coisa por experiência: VIVA-AS INTENSAMENTE, pois, é melhor olhar para trás e não ter do que se arrepender, mesmo que lá atrás tenham decepções, tombos e cicatrizes, do que quando você olhar pra trás ver um monte de ponto de interrogação de coisas que você não se permitiu viver.


Sempre fui de me jogar, de me entregar 100% em tudo que faço. Se me arrependo? Não, só me arrependo do que não faço. Se me machuquei? Viiiixi e como! Muitas cicatrizes, mas aprendi que ainda é melhor se entregar do que se privar, se entregar aos sentimentos, às vontades, aos riscos, se entregar.

Hoje, se entregar pode ser diferente.

Já me entreguei de corpo e alma e não adiantou nada, o meu amor não foi reconhecido, não foi valorizado, digamos que pode ter sido jogado… no lixo. Se entregar pode ser mais ou menos como a letra de uma música que diz assim:

“… então vem, que eu conto os dias, conto as horas pra ti ver, eu não consigo te esquecer, cada minuto é muito tempo sem você… sem você…”

Mas às vezes essa entrega é um ato “SOLO” e você tem que estar preparado, pois, só nota isso depois das feridas abertas.
___________

ENTREGA.
A quem?
Como?
Por quê?
Entregar-se é fácil para quem vive em sentimentos e não em razão.
Entregar-se é prazeroso e faz crescer.
Entregar-se é coisa para os corajosos, aos valentes que lutam pelo amor, pela vida.
É muito mais fácil ficar dentro do seu casulo chamado razão e dali experimentar umas e outras sensações, não se arriscar, olhar de longe e sorrir de lado.
Entrega, entrega o teu amor ao meu.
A tua alma a minha.
Os teus beijos aos meus.
Entrega o teu abraço ao meu abraço.
O teu corpo ao meu corpo.
Entrega os teus pensamentos aos meus.
Os teus desejos aos meus.
Entrega a tua língua à minha boca.
As tuas mãos à minha pele.
O teu tesão ao meu gozo.
Entrega, apenas entrega.
Entrega o teu sorriso aos meus.
Os teus olhos pra eu beijar.
Entrega a minha vontade ao teu querer.
Entrega, apenas entrega, o teu colo ao meu carinho.
Entrega o teu sono ao meu velar.
E os teus sonhos a desejar.
E se nada disso valer, entrega-se ao fim, ao desistir e ao amor-próprio.
Entrega o teu entregar ao seu viver e não esqueça, nunca: Entrega sempre, pois, quem não se entrega não ama, brinca de amar.
Quem não se entrega não se machuca, mas também não vive intensivamente.
Se entregue.
________






Sobre o Autor: 

Hugo Salum  Marketeiro e escritor. Aquariano de corpo e alma ,curioso, autêntico e sincero (até demais). Quando escrevo, não tenho rodeios: coloco logo o que penso, de maneira clara, precisa, direta e transparente, sem deixar de fora do papel algumas pimentas&polêmicas (porque quanto mais quente, melhor!). Procuro estar sempre aberto às mudanças, pois a vida é feita de transformações, aprendizado e amadurecimento. Amo café, coleciono canecas, sou pai de três filhos lindos e maravilhosos (#paicorujasimsenhor). Estou sempre sorrindo e festejando, afinal amo viver e por isso acho que cada dia a mais neste mundo já é motivo para celebrar! Este sou eu, o Salum. (www.hugosalum.com.br).
      

Comentários:

Nenhum comentário

About me

Papicher 2014©. Tecnologia do Blogger.